Atriz de Buffy denuncia comportamento abusivo de diretor

Charisma Carpenter (Divulgação)
Charisma Carpenter (Divulgação)

Quando Ray Fisher começou a fazer acusações sobre o comportamento abusivo de Joss Whedon nos bastidores de Liga da Justiça, outras pessoas que já trabalharam com o cineasta começaram a se pronunciar também.

Entre os que relataram os comportamentos abusivos de Whedon estavam pessoas que participaram de Buffy, A Caça Vampiros, série dirigida por ele, como o ator James Marsters e um membro da equipe de dublês, Jeff Pruitt.

Nesta quarta-feira (10), o Deadline reportou que a atriz Charisma Carpenter, que também trabalhou em Buffy, acusou o criador do programa de comportamento abusivo e hostil no set.

Ela publicou um longa carta em seu perfil no Instagram (que você pode conferir clicando aqui), onde diz que os incidentes “desencadearam uma condição física crônica da qual ainda sofro”.

Carpenter afirma que o criador de Buffy a chamou de “gorda” quando ela estava grávida de 4 meses, ameaçou demiti-la e fez as pessoas a aprovarem no set.

Um caso específico que ela cita é quando, em uma reunião a portas fechadas após saber de sua gravidez, Whedon questionou se ela iria prosseguir com a gestação:

“Me perguntou se eu ‘iria manter’ [a gravidez]… Passou a atacar minha personagem, zombar de minhas crenças religiosas, acusou-me de sabotar o programa e, em seguida, despediu-me sem cerimónia na temporada seguinte assim que dei à luz”.

Depois dessa reunião, Carpenter disse que se sentiu “impotente e sozinha”, mas, com um bebê a caminho, também sentiu que não tinha outra opção, então “engoliu os maus-tratos e continuou”.

Essa falta de poder, ela afirma, sugou a alegria de ser uma nova mãe. “E Joss era o vampiro”, disse ela.

Carpenter disse que foi instigada pelas alegações do ator da Liga da Justiça, Ray Fisher, contra Whedon. Que gerou uma investigação interna pela WarnerMedia.

Carpenter ainda revelou em sua postagem no Instagram que participou da investigação da Warner, dizendo que acreditava em Fisher e que sua demissão do filme do Flash foi segundo ela, a gota d’água.

Ela continuou:

“Me incomoda e entristece que, em 2021, os profissionais ainda tenham que escolher entre a denúncia de irregularidades no local de trabalho e a segurança no emprego”.

“Como uma mãe solteira cujo sustento da família depende do meu ofício, estou com medo. Apesar do meu medo sobre o impacto no meu futuro, não posso mais ficar em silêncio. Isso está atrasado e é necessário. Está na hora.”

Até o momento nem a Warner nem Ray Fisher se pronunciaram sobre o relato de Charisma Carpenter.

Formado em administração e psicologia. Fez curso de desenho com especialização em cartoons. Adora videogame, animações e filmes e séries de super heróis e monstros.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›