Andy Samberg cria polêmica ao falar das novas regras de diversidade no Oscar

Andy Samberg (Divulgação)
Andy Samberg (Divulgação)

De acordo com o site IndiWire, Andy Samberg tem uma opinião forte sobre os membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, também conhecido como Oscar, que não estão dispostos a aceitar os novos padrões de diversidade e inclusão que estão por vir.

Samberg abordou o assunto em uma edição recente do podcast do Variety’s Awards Circuit com Clayton Davis, já que o ator cômico está atualmente em várias premiações por seu papel no filme Palm Springs do Hulu.

A questão surgiu porque Andy Samberg apontou sua série de comédia Brooklyn Nine-Nine como um excelente exemplo de inclusão e diversidade por trás e na frente das câmeras, feito da maneira certa.

“Foi fortuito em termos do diagrama de Venn de ser inclusivo, porque eles foram ótimos. Sabíamos que [diversidade] era importante, mas também não tivemos dificuldade em puxar o gatilho”, falou Samberg sobre ter Stephanie Beatriz e Melissa Fumero no programa.

“A coisa do Oscar, pessoas tendo problemas com isso, é loucura. Os parâmetros, se você olhar para eles de perto, você poderia ter o elenco mais branco da história do cinema e ainda assim encontrá-los facilmente apenas fazendo alguns papéis atrás das câmeras. Pessoas que têm problemas podem se f*der“, disse Samberg.

As novas métricas de inclusão da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas  exigem que os candidatos a Melhor Filme marquem um certo número de itens para atender aos requisitos de diversidade que foram calorosamente debatidas desde o anúncio em 8 de setembro.

Enquanto alguns argumentam que isso nivela o campo para permitir que criadores mais diversos tornem suas histórias conhecidas, outros dizem que isso interfere na expressão criativa.

As novas medidas entraram em vigor após o Oscar de 2024.

Samberg estrela Brooklyn Nine-Nine, que terminou sua sétima temporada pela NBC e ja foi renovada para a oitava temporada. O ator disse que o programa está tentando integrar em suas histórias temas como violência policial e a pandemia de COVID-19.

Formado em administração e psicologia. Fez curso de desenho com especialização em cartoons. Adora videogame, animações e filmes e séries de super heróis e monstros.


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›