A Casa do Dragão: Por que Rhaenys decidiu lutar mesmo sabendo que ia perder?

Eve Best, estrela de A Casa do Dragão, explicou por que Rhaenys decide ir para a guerra no 4º episódio da 2ª temporada da série da HBO. Na primeira temporada, ela teve a chance de matar Aegon, mas não fez, o que poderia na ocasião, desencadear uma guerra.

Após Rhaenyra conversar com Alicent e ver que a paz não é uma opção, a filha de Viserys aceita que só há um caminho para conseguir sentar no Trono de Ferro. Apesar de saber que enfrentar Aemond em Vhagar poderia resultar em sua morte, Rhaenys sente que precisa assumir essa responsabilidade e vai enfrentar o exército de Criston Cole.

Em uma entrevista para a Variety, Best mencionou que a personagem sabe que essa é uma missão kamikaze e compara a situação a uma guerra nuclear, com Rhaenys sendo uma das poucas personagens conscientes das consequências de uma guerra entre dragões.

Tem que ser, porque, efetivamente, ela está começando uma guerra, e ela tem sido a única personagem que fez tudo o que pôde para detê-los. Porque ela é a única que sabe por experiência amarga, e toda a geração mais jovem está correndo por aí, dizendo: ‘Mande os dragões!’ Ela e Corlys são realmente os únicos adultos que restam na sala que sabem, que estiveram lá e viram – o que estão enfrentando“.

No final da 1ª temporada, ela toma essa decisão consciente de não iniciar uma guerra, de não destruir todo mundo. Todo mundo desde então tem dito: ‘Por que você não os queimou?’ Todo mundo está levando isso para o lado pessoal, e ela está o tempo todo olhando para o quadro geral“, continuou a atriz.

A questão é, em última análise, o que quer que nos sintamos, por mais apegados e devastados que estejamos, o quadro geral é que não devemos enviar dragões para a guerra, não devemos ir para o nuclear a todo o custo. Então, para ela dizer: ‘Serei eu a fazer isso’, ela sabe que não há vida depois disso. A escolha de ir, esse segundo retorno para mergulhar com Vhagar – essa é uma missão kamikaze absoluta“, acrescentou Best.

E as palavras de Eve Best se mostraram verdadeiras. No final da primeira Dança dos Dragões não sobrou nada além de destruição. Não apenas dois dragões morreram, mas também Criston Cole perdeu parte de seu exército além do castelo que estava tentando conquistar, terminando a batalha com nada além de pesar e um campo de batalha devastado, como uma guerra nuclear.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›