A Casa do Dragão fugirá do molde Game of Thrones ao retratar violência contra mulher

Série não quer mostrar tema da mesma maneira que tantos antes dela

publicidade

A Casa do Dragão não vai ignorar instâncias de abuso contra mulheres em sua trama, mas não irá fetichizar cenas de violência sexual, prometeu Sara Hess.

A cineasta é produtora executiva e roteirista da nova série da HBO, que será uma espécie de prólogo de Game of Thrones e mostrará o passado do clã Targaryen.

publicidade

Em uma entrevista concedida para a revista da Vanity Fair, Sara explicou que vai abordar a violência à mulher de um ponto de vista mais sensível e focado nos sentimentos das vítimas e não no ato em si:

“Eu gostaria de esclarecer que não iremos retratar violência sexual na série. Temos uma instância fora de cena, mostraremos consequências e o impacto na vítima e na mãe do agressor.”

Lord Corlys Velaryon (Steve Toussaint) e família em House of the Dragon (Reprodução)

“Meu orgulho é que no programa, escolhemos focar na violência contra a mulher que é inerente em um sistema patriarcal. Existem muitos programas ‘históricos’ ou baseados na história que romantizam relações entre homens poderosos e mulheres que na verdade não tinham idade para consentir, mesmo que estivessem ‘dispostas’. Nós colocamos isso no programa, e não fugimos do fato de que nossas protagonistas femininas na primeira metade da série são coagidas e manipuladas para fazer a vontade de homens adultos.”

Maneira como série trata o assunto é única

publicidade
A Casa do Dragão (Divulgação)

A equipe da série também tentou mostrar outro ângulo da situação, sobretudo por se tratar de uma cultura diferente, mas que tem muitas semelhanças com o sistema patriarcal que ainda é dominante no mundo:

publicidade

“Quando essas coisas acontecem, elas são feitas por homens que não seriam necessariamente rotulados como estupradores ou abusadores, mas muitas vezes por homens vistos como bem-intencionados, incapazes de ver que o que estão fazendo é traumático e opressivo, porque o sistema em que vivem vivem os normaliza. É menos óbvio que o estupro, mas igualmente terríveis, embora de uma maneira diferente.”

“Em geral, retratar a violência sexual é complicado e acho que a maneira como pensamos sobre isso como escritores e criadores é única para nossas histórias em particular”, afirmou.

A Casa do Dragão estreia na HBO e na HBO Max a partir do dia 21 de agosto, com episódios semanais.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›