Netflix cancela Pretty Smart em sua primeira temporada

Motivo do cancelamento da sitcom não foi revelado, mas a notícia veio logo após a atriz principal se tornar regular em outra série

publicidade

A Netflix cancelou a sitcom Pretty Smart logo após o fim de sua primeira temporada. O episódio final deixou um gancho para muitas revelações entre dois personagens principais.

O TV Line apontou que o cancelamento de Pretty Smart foi revelado logo depois que Emily Osment, que interpreta a protagonista Chelsea Morgan, se tornou uma personagem regular em Young Sheldon.

publicidade

Contudo, não se pode afirmar que o cancelamento da sitcom foi por conta da nova proposta profissional de Osment. Até o momento nem a Netflix nem a atriz se pronunciaram.

Em Pretty Smart, Chelsea é uma intelectual esnobe que foi forçada a morar com sua irmã “não tão intelectual” Claire (Olivia Macklin) depois de ser dispensada por seu namorado.

Na casa também moram o personal trainer Grant (Gregg Sulkin), a advogada Solana (Cinthya Carmon), e o digital influencer Jayden (Michael Hsu Rosen).

O décimo e último episódio da sitcom terminou com Chelsea e Grant se preparando para dizer a Claire (ex-namorada de Grant) que eles têm sentimentos um pelo outro. Contudo, Claire estava decidida a voltar com o ex.

publicidade

Pretty Smart é criação de Jack Dolgen e Doug Mand, que produziram a série ao lado de Kourtney Kang, Jim Brandon, Brian Singleton e Pamela Fryman.

Recepção da crítica

Chelsea (Emily Osment) e Grant (Gregg Sulkin) em Pretty Smart (Reprodução / Netflix)
Chelsea (Emily Osment) e Grant (Gregg Sulkin) em Pretty Smart (Reprodução / Netflix)
publicidade

Pretty Smart conseguiu a nota 5,7 / 10 no IMDb, enquanto no Rotten Tomatoes alcançou 69% de aprovação do público e 40% de aprovação dos críticos. Confira alguns comentários:

“Quase todo mundo é muito burro em uma comédia de retrocesso estrelada por Emily Osment…” – Richard Roeper, Chicago Sun-Times.

“Os produtores não aproveitam o talento de sua estrela para o humor pastelão” – Neal Justin, Minneapolis Star Tribune.

publicidade

“Uma farra fácil que é mais leve que o ar e muito divertida, esta comédia multi-câmera tem um coração inesperado e muito talento de realeza de TV atrás e na frente das câmeras” – Joyce Slaton, Common Sense Media.

“Você não vai confundir essa série com Ted Lasso ou Only Murders In The Building. Mas no final do primeiro episódio, há mudanças de personagens que nos dizem que [Jack Dolgen e Doug Mand] têm mais em mente para esta história” –  Joel Keller, Decider.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›