Escritora queima autora de Harry Potter, J.K. Rowling, viva em novo livro

publicidade

A romancista trans Gretchen Felker-Martin gerou polêmica por conta de seu livro, Manhunt. Nele, a escritora J. K. Rowling, criadora de Harry Potter, é queimada viva na história.

A história do livro segue duas mulheres trans “tentando sobreviver em um mundo devastado por uma praga que transforma qualquer pessoa com testosterona suficiente em seu sistema em uma monstruosidade”.

publicidade

O livro mostra também uma guerra contra as chamadas TERFs, uma sigla depreciativa para feministas radicais transexcludentes. As protagonistas então falam sobre “a senhora Harry Potter”, referindo-se a Rowling, que vem recebendo inúmeras críticas e boicote por conta de comentários transfóbicos nas redes sociais.

Segundo o New York Post, uma das personagens do livro relata que a “senhora Harry Potter… acabou sendo uma TERF louca” e morava em um castelo na Escócia junto com outras radicais transfobicas, e após uma delas derrubar uma lâmpada, a escritora e as “Cavaleiras de J.K. Rowling” queimaram “vivas, e finalmente todo o castelo desabou”.

O livro também relata que as TERFs também usam um navio de guerra chamado Galbraith, provavelmente uma referência a Robert Galbraith, um pseudônimo sob o qual Rowling também escreve.

Gretchen Felker-Martin (Reprodução / Twitter)
Gretchen Felker-Martin (Reprodução / Twitter)
publicidade

Ainda de acordo com o site internacional, Felker-Martin se gaba por escrever “os livros mais repugnantes da língua inglesa, livros sobre repulsa sexual, sobre horror corporal, sobre como a violência se forma e se encaixa em nossas vidas”.

Ela também twitta rotineiramente sobre a fantasia violenta de seu livro sobre Rowling. Em uma publicação compartilhada em março, Felker-Maritin escreveu:

publicidade

“Se você está cansado de romances de peste de gênero escritos por transfóbicos, experimente meu romance MANHUNT, escrito por uma mulher trans para um público trans. Trans sapatão se apaixonam e f*dem e assassinam TERFs, homens selvagens saqueadores no deserto, J.K. Rowling morre, etc”.

Manhunt tem sido visto como um best-seller do gênero Horror de Ficção LGBTQ+ da Amazon apesar dos inúmeros comentários o classificando com notas baixas e alguns críticos descrevendo o livro como “fantasia de estupro” e “lixo misógino”.

Apesar disso, Felker-Martin tem se divertido com o escândalo, twittando anúncios de seu “horrorshow psicossexual depravado” que está “atualmente dando às TERFs ao redor do mundo um aneurisma coletivo”.

publicidade
Manhunt (Reprodução)
Manhunt (Reprodução)

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›