Disney+ retira nome da Netflix de Demolidor e outras séries

publicidade

A Disney+ retirou qualquer menção de “uma série original Netflix” dos programas da Marvel da plataforma que mudaram de casa para o streaming do Mickey.

Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro, Os Defensores e O Justiceiro foram retiradas do catálogo da plataforma do N vermelhinho no último dia 28, e aos poucos serão disponibilizadas no mundo inteiro pelo Disney+.

publicidade

Uma pequena mas significativa mudança foi notada pelos fãs nos primeiros países onde as séries já estão de casa nova. Capturas de tela foram publicadas comparando as versões antigas e as novas pelo The Direct, e mostram que o nome da Netflix foi removido dos créditos iniciais dos programas.

Disney retirou nome da Netflix de créditos iniciais de séries da Marvel (Montagem/Reprodução)
Disney retirou nome da Netflix de créditos iniciais de séries da Marvel (Montagem/Reprodução)

Agora que as séries estão junto com suas colegas de Marvel, elas receberam o novo título de The Defender Saga (“A Saga dos Defensores”, tradução livre).

“O que vem a seguir, adicionar performances de striptease?”

A adição das séries na plataforma causou bastante polêmica nos Estados Unidos.

publicidade

O Parents Television Council fez uma carta aberta se mostrando contra a decisão de colocar as séries, que são classificadas como conteúdo para maiores de 16 e 18 anos, no streaming que promete ser apropriado “para toda a família”.

Junto com as atrações, a Disney fez uma atualização para os aplicativos, que agora vão incluir um novo Controle dos Pais. A função impedirá que os conteúdos possam ser visualizados em contas infantis.

publicidade

Confira a mensagem completa da associação para a Disney:

“Por mais de 98 anos, a Walt Disney Company tem sido sinônimo das palavras Para Toda a Família, e eu não consigo pensar em outra corporação na história dos Estados Unidos que que se construiu de forma mais clara e aparente nas costas – e nos bolsos – de pais e de famílias. A plataforma que recebe o nome da companhia Disney+ logicamente se lançou no mercado como um serviço de streaming para toda a família, e pais colocaram sua confiança na Disney para entregar apenas isso. Parece extremamente ‘fora da marca’ para a Disney+ colocar séries de classificação para maiores de 16 e 18 anos em sua programação da plataforma, ostensivamente para aumentar os lucros de assinaturas. Então o que vem a seguir, adicionar performances de striptease na Fantasyland no Disney World?
Enquanto aplaudimos a Disney+ por melhorar seu Controle dos Pais, a mera presença de conteúdo assim viola a confiança das famílias, e pode deixar eles decepcionados de maneira geral.
Não há necessidade da Disney+ competir com o conteúdo explícito de outras plataformas de streaming. A Disney já tem vantagem competitiva com uma plataforma que é a mais segura por aí para as famílias. Sua exploração de conteúdo maduro vai sujar para sempre sua coroa de conteúdo para a família toda.”

As séries entraram para o catálogo estadunidense do Disney+ no dia 16 de março, e também no Canadá, Reino Unido, Irlanda, Austrália e Nova Zelândia. Segundo a Disney, todos os outros países irão receber a série até o final de 2022.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›