Diretor de 007 é acusado de assédio no trabalho: “Ele precisa ser parado”

Cary Fukunaga está colecionando acusações de comportamento abusivo

publicidade

Cary Fukunaga, diretor de 007 – Sem Tempo Para Morrer está sendo acusado de assédio e comportamento inadequado nos sets de filmagens. As investidas aconteceriam principalmente contra mulheres jovens.

Fontes anônimas da produção de Masters of The Air, minissérie da AppleTV+ da qual o cineasta faz parte, disseram à revista Rolling Stone que ele teria se envolvido num claro abuso de poder, ao interagir com sua equipe, principalmente com jovens atrizes.

publicidade

De acordo com essas pessoas, a intenção do diretor é forçar uma intimidade física. Uma mulher que não se identificou e disse que chegou a namorar com ele, disse que as coisas foram tão ruins, que ela ficou mal depois que o relacionamento chegou ao fim. “Lembro-me de me sentir tão bem por estar longe dele, como se esse peso pesado no meu ombro fosse levantado e [eu pudesse] respirar novamente. Ele me fez sentir tão claustrofóbica e sufocante. Quando eu pensava nele, eu só queria vomitar”, disse ela.

Michael Plonsker, advogado do diretor, negou a situação em um comunicado para a revista dizendo somente: “Não há nada de obsceno em buscar amizades ou relacionamentos românticos consensuais com mulheres. Ele cria um ambiente de trabalho criativo, colaborativo e acolhedor para todos”, acrescentou Plonsker no comunicado.

Ele também observou que “ninguém nunca – nem uma vez – expressou tais sentimentos” sobre as alegações de Fukunaga.

As acusações sobre o diretor começaram a aparecer quando Rachelle Vinberg, atriz e skatista de 23 anos, disse no Instagram que Cary se aproximou dela em um parque, e a abordo para que ela fizesse teste para um comercial que ele estava dirigindo. Ela disse que tinha 18 anos na época segundo a Rolling Stone, mas que isso teria mexido profundamente com ela após se envolver.

publicidade

“Passei anos com medo dele”, Vinberg escreveu na legenda de uma foto com ele no Instagram. “O homem é um tosador e vem fazendo isso há anos. Cuidado, mulheres.”

Mais tarde, ela teria escrito no Instagram Story: “E isso me irrita porque ele literalmente não se importa com as mulheres. Ele só as traumatiza. Já falei com muitas garotas. Foda-se, Cary”.

publicidade

Plonsker divulgou um comunicado, dizendo que Fukunaga “teve um relacionamento romântico muito breve e consensual com [Vinberg] que terminou” e sugeriu que a skatista “claramente não estava feliz” com ele desde a separação.

O próprio diretor ainda não se pronunciou sobre os casos.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›