Autor de Killing Eve critica último episódio da série e detona: “Uma punição”

O autor comentou a queda na qualidade da série bem como não conseguirem mostrar uma das personagens da maneira que gostaria.

publicidade

A primeira temporada de Killing Eve, da BBC, foi muito bem recebida tanto pela crítica quanto pelo público, mas ao longo de suas quatro temporadas a trama foi perdendo a força.

Ao longo de toda a série, Eve (Sandra Oh) e Villanelle (Jodie Comer) tiveram um relacionamento estranho e violento, que muitas vezes se tornou romântico e sexual.

publicidade

O final as mostrou se conectando romanticamente à medida que seus objetivos se alinhavam, mas Villanelle foi inesperadamente baleada e morta, e a partir daí os crédito finais começaram a subir.

De acordo como The Guardian, o autor de Killing EveLuke Jennings, escreveu uma crítica a respeito do último episódio da série.

“O final da quarta temporada foi uma reverência à convenção. Uma punição de Villanelle e Eve pelo caos sangrento e eroticamente impelido que causaram. Um enredo verdadeiramente subversivo teria desafiado o tropo que vê amantes do mesmo sexo em dramas de TV permitidos apenas os relacionamentos mais fugazes antes que um deles seja morto (a morte de Lexa em The 100, imediatamente após dormir com seu interesse amoroso feminino pelo primeira vez, é outro exemplo). Quanto mais sombriamente satisfatório e fiel ao espírito original de Killing Eve, para o casal caminhar juntos para o pôr do sol? Alerta de spoiler, mas foi assim que me pareceu ao escrever os livros”.

Sandra Oh e Jodie Comer em Killing Eve (Reprodução)
Sandra Oh e Jodie Comer em Killing Eve (Reprodução)
publicidade

A primeira temporada da série foi escrita por Phoebe Waller-Bridge, que foi um dos muitos projetos que lhe renderam elogios da crítica e do público. Waller-Bridge não voltou para escrever as temporadas seguintes, e com isso muitos usaram este motivo para justificar a diminuição da qualidade da série.

Jennings notou o quão drasticamente diferente o final se tornou de suas conversas iniciais com Waller-Bridge.

publicidade

“Quando Phoebe Waller-Bridge e eu discutimos pela primeira vez a personagem de Villanelle há cinco anos, concordamos que ela era definida pelo que Phoebe chamava de ‘glória’: sua subversividade, seu poder selvagem, sua insistência em coisas adoráveis. Essa é a Villanelle que eu escrevi, que Phoebe transformou em um personagem de tela, e que Jodie correu tão gloriosamente”.

Apesar da decepção da versão que imaginou de Villanelle foi mostrada na televisão, Jennings concluiu:

“Eu aprendi o resultado do episódio final com antecedência e suspeitei, com razão, que os fãs ficariam chateados. Mas para esses fãs, eu diria isso : Villanelle vive. E na página, se não na tela, ela estará de volta”.

publicidade

Killing Eve: Dupla Obsessão pode ser assistido no Globoplay. A trama segue uma agente secreta obcecada em conseguir capturar uma assassina.

O que você achou? Siga @siteepipoca no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Veja mais ›