Atriz sofreu para fazer cena íntima com Antonio Banderas

Salma Hayek e Antonio Banderas em A Balada do Pistoleiro (Reprodução)
Salma Hayek e Antonio Banderas em A Balada do Pistoleiro (Reprodução)

As cenas de intimidade no cinema são tão envolvidas em mistério para o grande público que nem mesmo a sua realização ou explicações técnicas podem dar conta de esclarecer tudo por completo, já que a experiência dos atores também conta no processo.

A atriz mexicana Salma Hayek revelou recentemente que ela faz parte grupo de estrelas de Hollywood que demoraram bastante a perder a vergonha e o pudor para mergulhar totalmente na gravação de uma sequência íntima.

Em entrevista recente ao podcast Armchair Expert, ela relembrou os maus momentos que passou quando precisou filmar uma cena na cama com o colega Antonio Banderas em A Balada do Pistoleiro (1995).

O filme de Robert Rodríguez marcou uma virada na carreira da estrela, já que sua fama cresceu absurdamente depois da estreia, o que abriu muitas portas de Hollywood para ela.

Entretanto, naquele período, ela ainda não tinha a experiência suficiente para controlar seu próprio nervosismo durante as gravações com Banderas.

Em primeiro lugar, Hayek afirmou que a sequência íntima não estava originalmente no roteiro, mas foi exigida posteriormente pelos produtores quando reconheceram a química que existia entre os atores principais.

Com isso, ela deixou claro que tanto o cineasta quanto sua co-estrela se comportaram perfeitamente com ela foram bastante gentis na tentativa de deixá-la confortável, mas a sua lembrança do momento é traumática mesmo assim.

“Eles fecharam o set e éramos apenas Robert, Elizabeth (a esposa do diretor), Antonio e eu”, contou.

Mas esvaziar o set foi de pouca utilidade, já que Hayek começou a chorar assim que se prepararam para filmar.

“Não conseguia parar de repetir ‘não sei se consigo fazer isso’ e ‘estou com medo’.”, falou ela.

A atriz explicou que o ”espírito livre de Banderas a assustava.”

“Ele foi um verdadeiro cavalheiro, muito bom, e até hoje ainda somos amigos. Mas ele era muito livre, então me assustou que aquilo não fosse nada para ele. E me assustou porque eu nunca tinha estado na frente de alguém em uma situação como esta.”

“Comecei a chorar e ele disse: ‘meu Deus, você está me fazendo sentir péssimo’. Eu me senti tão envergonhada por estar chorando.”

Hayek aproveitou para contar que tanto Banderas quanto Rodríguez tentaram fazê-la rir para minimizar sua angústia, mas que, apesar disso, no momento em que finalmente decidiu tirar a toalha, ela voltou a chorar.

Por fim, a atriz disse que a montagem final da cena acabou tendo que ser construída com cortes muito rápidos, já que ela não conseguiu se concentrar na interpretação necessária para a personagem devido ao desconforto do momento.

Um Psicólogo que estuda Medicina, ensina inglês, toca piano, ama escrever e tem um gato. =P


SIGA-NOS E VEJA MAIS


Veja mais ›